Review: Heavenly Sword (filme).

ps3_HeavenlySword_06

Heavenly Sowrd.

De Gun Ho Jang.

Com: Anna TorvAlfred MolinaThomas Jane, Ashleigh Ball, Barry Dennen, Nolan North, Renae Geerlings.

Já foi discursado aqui o terrível estigma dos filmes baseados em jogos de videogame. Ultimamente não é apenas o cinema que tem recebido a ingrata missão de adaptar temas dos jogos, a literatura vem frequentemente bebendo dessa fonte, além disso, com a facilidade das mídias digitais e da internet, um novo segmento tem se “beneficiado” com os games: os de “Home Vídeo” e “Movie for TV”. Ou seja, aqueles filmes de orçamentos modestos que geralmente não correm em circuitos de cinema, ainda mais fora dos EUA e Japão, ou ainda são pensados apenas para serem passados na TV (Halo já está no quarto filme). Qualidades discutíveis a parte, o fato é que esse mercado tem crescido e agora foi a vez de Heavenly Sword .

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Bq6gJvMArh8?rel=0]

Exclusivo para Play Station 3 e lançado em 2007, Heavenly Sword , tanto o jogo quanto o filme, contam a história de Nariko que, contradizendo uma profecia, que previa o nascimento de um guerreiro homem para empunhar a arma sagrada do título, se vê rejeitada pelo seu clã. Habilidosa em combate a heroína ruiva acaba por ela mesma tendo que cumprir a profecia usando a espada para poder vingar seu clã do rei Bohan e seu exercito que destrói seu lar para obter a Heavenly Sword . Porém Nariko deverá encarar o fato de que empunhar a arma dos deuses significa perder, gradualmente, a vida, correndo contra o tempo para cumprir sua missão.

Aqui, para variar, temos mais uma heroína estereotipada e sexualizada. Mesmo aceitando o contesto em que o filme se encontra, é difícil se contentar com o que é entregue. Um dos grandes problemas de Heavenly Sword é justamente não oferecer quase nada para quem já jogou o jogo. Por se tratar de uma animação CGI e de estética basicamente igual ao jogo, ver o filme é como assistir a uma cutscene gigante e que a qualquer momento o filme vai parar para que se comece a jogar. As cenas de ação e lutas seguem o padrão do gênero e a história segue o rumo esperado. Não chega a ser uma decepção, mas poderia ser uma oportunidade para talvez expandir o universo do jogo e até ser um gancho para uma possível continuação. Só rezemos para que filmes como esses não saturem o mercado, de filmes e de games.

Nota: 6/10.

Comentários

Sem Spoiler ou Será banido!